Brasília, Julho de 2020
Cuidados com os animais no inverno

Com as temperaturas, nesta época do ano, não são apenas os humanos que precisam tomar precauções extras. Os cuidados com os animais no inverno também se tornam essenciais, sendo um tema que vem sendo tratado cada vez com mais atenção. Até o fim do inverno, é importante os tutores estarem atentos as necessidades dos animais. Portanto, a médica veterinária Consuelo Martin Ferreira, da Casa do Produtor, separou algumas dicas primordiais para a época mais gelada do ano.

Por Ricmais

De acordo com Consuelo, raças como Samoyeda, Husky e São Bernardo, assim como os gatos com mais pelos como o Persa e o Sagrado da Birmânia, são espécies de pets que tendem a ser mais preparados para o inverno, devido a camada “privilegiada” de pelos. Além disso, cães e gatos sem raça definida que possuem mais pelagem são animais que também tendem a sentir menos frio.


Mas, isso não significa que estes tipos de animais estão imunes as baixas temperaturas. Assim como os humanos, os animais também emitem sinais que podem indicar frio:

•    Orelhas, patas e barriguinha mais geladas que o normal;
•    Tremedeira;
•    Deitar em posição “bola”, mais encolhidos;
•    Alterações no comportamento;
•    Mais sono que o habitual;
•    Chorinho ou latidos sem motivo aparente;
•    Inquietação;

Além disso, o porte físico dos animais também pode interferir diretamente no isolante térmico dos pets. Portanto, a gordura corporal é um ponto determinante no inverno. Os cães ou gatos mais magros, por exemplo, sentem mais frio, enquanto os mais gordinhos tem uma capa de gordura protetora mais eficiente.


Não deixe que o bichinho saia do banho morno direto para o ar gelado para não sentir choque térmico. O ideal é secá-lo com secador e esperar um pouco para deixá-lo ao ar livre. Nos dias mais frios é melhor evitar o banho ou levar em um pet shop.


As aves devem ficar em locais mais quentes, longe de correntes de ar, e a gaiola deve ser coberta com um cobertor. Outra alternativa é aquecer o ambiente com um aquecedor elétrico.


Animais filhotes e idosos, ou com alguma condição física preexistente são mais sensíveis e devem receber atenção redobrada no frio.

1/3

© 2020 Jornal Lago Notícias, de Brasília - Todos os direitos reservados.