Castração de
cães e gatos

Castrar um animal, seja ele cão ou gato, gera muitas dúvidas para os tutores, que nem sempre ficam à vontade para realizar a cirurgia, temendo causar algum dano ao animal

Imagem: Internet

Existem muitos mitos sobre a castração de animais de estimação. Um dos mais comuns é que fêmeas devem ter ao menos uma ninhada, para que sejam saudáveis e felizes. Já no caso dos machos, crê-se que a castração torna o animal triste e frustrado. Todas as afirmações acima são falsas, tanto para cães quanto para gatos. 


Segundo a veterinária Camila Maximiano, da Clínica Pompeu, os cães não precisam cruzar ou ter filhotes antes de ser castrados para sentir-se satisfeitos ou completos. Sua saúde física e mental não é dependente de cruzas ou ninhadas. Esses são valores humanos. Cães e gatos agem por instinto e estão mais sujeitos à frustração se não forem castrados. Já imaginou quantas fêmeas entram no cio em seu prédio ou na sua rua? Esses possíveis “parceiros” são percebidos à distância pelos animais e isso significa que o seu cachorro instintivamente vai querer cruzar, às vezes por dias seguidos, sem nunca conseguir. Isso, sim, pode gerar frustração e representar um estresse constante na vida do seu cão ou gato.


A castração traz uma série de benefícios para os animais de estimação e para a sociedade. “Castrar o seu cachorro é um ato de responsabilidade, pois você está não apenas prevenindo possíveis doenças, como também contribuindo para reduzir a quantidade de ninhadas indesejadas e animais de rua, pois esses filhotes frequentemente acabam abandonados ou em situação de maus-tratos”, informa Camila. De acordo com a veterinária Camila Maximiano, é preciso seguir algumas recomendações.

 

As fêmeas caninas e felinas devem ser castradas, preferencialmente, entre o primeiro e segundo cio, enquanto que os filhotes machos poderão ser submetidos à castração a partir dos 6 meses. No caso de animais adultos, eles podem ser castrados em qualquer idade, desde que aptos para passar por procedimento cirúrgico. As fêmeas devem ser castradas, pelo menos um mês antes ou depois do cio.


“Se tiver alguma dúvida sobre a castração, fale com o seu médico veterinário”, aconselha Camila.

Por Camila Maximiano

1/3

© 2020 Jornal Lago Notícias, de Brasília - Todos os direitos reservados.