Manter limpa e segura a orla do Lago Paranoá é prioridade da Administração Regional
Brasília, Agosto de 2020
ASCOM Lago Sul

Manter limpa e bem cuidada a orla do Lago Paranoá é tarefa permanente da Administração Regional do Lago Sul, com apoio de empresas e órgãos do GDF, com destaque para a Novacap e SLU. Equipe da Diretoria de Obras intensificam os serviços de poda de árvores e roçagem das áreas na orla, com o propósito de assegurar a sobrevivência da mata nativa no período de estiagem e melhorar o acesso das pessoas ao Lago Paranoá. Os serviços incluem ainda a retirada de galhos, entulhos, lixo acumulado, deixando desobstruídas e limpas as margens do Lago. No Parque Dom Bosco, terá o reforço de equipes da Novacap, que faz parte da Força-tarefa de revitalização desta unidade de conservação ambiental.

Em breve, com a implementação do Projeto Orla da Secretaria de Meio Ambiente do GDF, serão recuperados 65 hectares ao longo das áreas de proteção ambiental da orla do Paranoá, no Lago Sul, com o plantio  de mudas selecionadas num perímetro de  30 metros às margens do espelho d’água. Preservar a orla limpa e desobstruída, garantindo o acesso seguro das pessoas, é tarefa diária da Administração Regional.

Força-tarefa do GDF leva melhorias e infraestrutura para o Parque Dom Bosco

Além da vista privilegiada, Monumento Natural Ecológico Dom Bosco abriga espécies raras da mata do cerrado nativo

O Monumento Natural Ecológico Dom Bosco vai ganhar obras de infraestrutura e serviços diversos de manutenção com o objetivo de valorizar ainda mais os seus atributos ecológicos e exuberante beleza natural, às margens do Lago Paranoá. Além de sua importância como ponto turístico, o Parque Dom Bosco, como é conhecido, abriga espécies raras do cerrado nativo e o primeiro templo construído em Brasília, a Ermida Dom Bosco, inaugurado em 1957.

O projeto de melhorias no Parque Dom Bosco integra, numa Força-tarefa,  diversos órgãos do Governo do Distrito Federal, entre eles o Instituto Brasília Ambiental, responsável pela gestão dos parques, a Administração Regional do Lago Sul, as Secretarias de Governo, Turismo e Cidades, além da CEB, Caesb, Detran, DER, SLU, Funap e Novacap. Serão duas semanas de trabalho intenso com encerramento previsto para o dia 30 de agosto, em missa a ser celebrada na Ermida Dom Bosco. 


Para o administrador Regional do Lago Sul, Rubens Santoro, a ação integrada entre órgãos e empresas do Governo valoriza o patrimônio ecológico do Distrito Federal, melhora a infraestrutura das unidades de conservação, atraindo visitantes e preservando um dos mais importantes legados naturais do Distrito Federal. “O Monumento Ecológico Dom Bosco antecede a história de construção de Brasília e sua preservação resgata compromissos ambientais e históricos, que são marcos de atuação do atual Governo”, conclui.

© 2020 Jornal Lago Notícias, de Brasília - Todos os direitos reservados.