Brasília, Agosto de 2020
A Advocacia
nossa de cada dia
ENTENDENDO DIREITO  |  Com Patricia Garrote, Escritora e Advogada (OAB-DF 28400) 

O mundo mudou – e como! E nessa loucura toda o que salvou a humanidade foram as redes sociais. Nunca se postou tanto, nunca se produziu tanto conteúdo, nunca se interagiu tanto virtualmente como agora, nunca foi tão fácil (e rápido) saber tudo sobre qualquer pessoa ou sobre qualquer assunto, estudar, conversar e até conviver à distância. Nunca o mundo foi tão acessível como agora – está tudo, literalmente, na palma da nossa mão.

Quer comprar, vender, anunciar, mostrar, doar, sortear um produto, oferecer um serviço, convocar pessoas? Está tudo ali, no mundo virtual onde absolutamente tudo se mostra possível e a preocupação é observar limites legais antes de se aventurar no mundo digital. E como todo cuidado é pouco o legislador criou a lei geral de proteção de dados com o objetivo de delimitar a licitude e as consequências das condutas e omissões nessa esfera cibernética.

Na advocacia a vida ganha contornos paralelos – entre um atendimento e outro, entre uma petição e outra, entre uma negociação e outra, a pausa para a selfie, a foto do escritório, a historinha de algo bacana para alegrar o feed ou o story da rede social mais badalada do momento. Ou seja, o hobby mudou de cara, de cor, ganhou movimento e luz, filtro, música, emojis, interação, conexão entre as pessoas e muito mais.

 

Revistas e jornais impressos não nos seduzem mais, precisamos ver em tempo real o que as celebridades dizem, fazem e postam. No cenário jurídico não é diferente, todos os dias somos brindados com lives e verdadeiras aulas ao vivo, à disposição de qualquer um, sobre os mais diversos temas, cada uma com sua peculiaridade e público. 

 

O mundo mudou. E como! E que bom que mudou, e é preciso, urgentemente, reconhecer que a mudança nos transformou em pessoas melhores, mais audaciosas (quem imaginaria uma advogada tímida falando para mil pessoas numa live ou fazendo uma sustentação oral para cinco desembargadores felizes do outro lado da tela?), mais simples (as roupas perderam o glamour e lojas de grife estão fechando as portas no mundo inteiro) e mais capacitadas (nunca se estudou tanto com tanto curso online!), bem como mais colaborativas (nunca nos ajudamos e nos apoiamos tanto) e mais felizes (quem diria que ficar em casa de moletom regando plantas e driblando atividades como elaborar petição e ajudar os filhos com as aulas online seria o novo normal?)..

 

O mundo mudou, a advocacia mudou. Estamos nas redes, no mundo digital, e prontos para o que der e vier nesse cenário imparável, inegociável, irreversível. Clientes nos procuram no google e nos investigam nas redes sociais para confirmarem nossa existência e terem certeza de que daremos conta do recado. Alguma dúvida disso? Que continuem os jogos.

 

- - 

“Não é possível advocacia sem marketing”

© 2020 Jornal Lago Notícias, de Brasília - Todos os direitos reservados.