1/2
A história de Brasília e do cerrado
brasileiro contada em trilhas
​​Brasília, Junho/Julho de 2021
ASCOM Lago Sul

Conhecer a história de Brasília e do cerrado brasileiro de forma saudável e divertida, contemplando a exuberante natureza da Região Central, com informações sobre a fauna, a flora, os recursos hídricos, lições de educação ambiental e conservação do meio ambiente. Esta é a proposta do projeto Caminhos do Planalto Central, que é um sistema de trilhas ecológicas do Distrito Federal, com percurso que atendem caminhantes, ciclistas, corredores, cavaleiros e aqueles que querem preservar o meio ambiente.

As trilhas passam pelo Parque das Copaíbas, já sinalizadas
As trilhas passam pelo Parque das Copaíbas, já sinalizadas

As trilhas passam pelo Parque das Copaíbas, já sinalizadas
As trilhas passam pelo Parque das Copaíbas, já sinalizadas

1/1

Os Caminhos do Planalto Central interligam cidades, comunidades, paisagens das mais diversas, unidades de conservação e vários outros atrativos de relevante valor histórico, cultural e ambiental da capital brasileira e entorno. Pelas trilhas, os visitantes passam a conhecer as tradições culturais, arquitetura, culinária, religiosidade, enfim, aspectos socioculturais que enriquecem a história da criação de Brasília e de sua população.

 

Segundo um dos coordenadores do projeto, professor João Carlos Machado, este é um trabalho inovador, com incentivo ao turismo ecológico, criando empregos e renda e impulsionando a economia em todo este território. “São centenas de quilômetros que ligam regiões de ecoturismo com as de Patrimônio Cultural da Humanidade”, salienta o professor.

 

São 400 km de trilhas, divididos em três arcos: Arco Brasília, 77 km, conectando o Parque Nacional de Brasília, unidades de conservação, Santuário dos Pagés, Eixo Monumental de Brasília, Lago Paranoá e, no Lago Sul, Monumento Natural Dom Bosco, Orla Sul do Lago Paranoá, Parque das Copaíbas, Parque da Península, ARIE do Bosque, Pontão, Ponte JK, entre outros; Arco da Cafuringa, com 116 km, com foco ambiental, cultural rural, religioso e histórico e; Arco Trilha União, com 79 km, com enorme valor paisagístico, místico e gastronômico.

 

Para conhecer e participar do projeto basta acessar o site www.caminhosdoplanaltocentral.com.br. Nas próximas edições, mais informações sobre as trilhas dos Caminhos do Planalto Central no Lago Sul.

Inaugurado hoje no Lago Sul Centro para atender turistas

O Lago Sul terá um Centro de Atendimento ao Turista, para promover o turismo na região e fornecer informações sobre pontos turísticos, história de Brasília e do Lago Sul, gastronomia, artesanato, turismo de aventura e religioso, enfim, fomentar uma das atividades econômicas que mais cria empregos e renda.

A inauguração do Centro faz parte do programa Turismo em Ação, coordenado pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal – SETUR-DF, que realiza a sua sétima edição hoje, no Lago Sul, com a presença da secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, o administrador regional do lago Sul, Rubens Santoro, convidados, profissionais e servidores dos dois órgãos do GDF.

O Centro de Atendimento ao Turista, que funcionara na própria sede da Administração Regional do Lago Sul, das 8 às 18h, conta com profissionais treinados, responsáveis por fornecer informações sobre os pontos turísticos da cidade, produtos e serviços.

A secretária Vanessa Mendonça, no ato de inauguração, fez uma apresentação dos programas voltados aos empreendedores do segmento do turismo. Falou sobre os programas de fomento, qualificação de profissionais e promoção, além de colocar a Secretaria à disposição para maiores informações e parcerias.

O Lago Sul se notabiliza pela variedade de pontos turísticos como: o Parque Asa Delta, Parque das Copaíbas, Monumento Natural Dom Bosco, Orla Sul do Lago Paranoá, entre tantos outros, além de se constituir como um capítulo a parte da história de construção de Brasília.

Após o evento, a comitiva realizou visitas técnicas em alguns desses pontos turísticos: Parque Asa Delta, Seminário Maior Arquidiocesano de Brasília Nossa Senhora de Fátima, Parque das Copaíbas, Seminário Redemptoris Mater e Mosteiro de São Bento.

Durante estas visitas, serão avaliadas também as condições de infraestrutura para receber os turistas e visitantes, como segurança, acessibilidade, estrutura física e logística, entre outros itens. Tudo isso para assegurar o conforto dos visitantes nesses locais que fazem parte integrante da cultura e da tradição de Brasília e Distrito.

“Falar de turismo no Distrito Federal é falar do Lago Sul, com sua beleza natural, suas áreas de conservação ambiental, seus parques ecológicos, jardins e canteiros, a integração da administração pública com as associações de moradores por quadras, que ajudam na manutenção deste rico patrimônio natural e histórico. O CAT é um relevante passo em direção ao fomento a uma atividade essencial para o Distrito Federal e, em particular, para o Lago Sul. O dia de hoje é de agradecimento, ao nosso governador Ibaneis Rocha, a secretaria de Turismo, Vanessa Mendonça, e a todos os servidores e profissionais da área, que ajudam a transformar sonhos em realidade”, afirmou o administrador regional Rubens Santoro.

1/1

© 2021 Jornal Lago Notícias, de Brasília - Todos os direitos reservados.