Anvisa aprova novas lentes intraoculares para catarata e erros de refração
Brasília, Agosto de 2020
Com Dr. Hilton Medeiros, Oftalmologista  (CRM-DF 7469) 

A oftalmologia é uma das áreas da medicina que mais tem avançado tecnologicamente nos últimos anos. As cirurgias oftalmológicas também estão entre as mais seguras e eficientes. Desde o início do ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou 30 novas lentes para implantes nos olhos. Estas novas lentes vêm para melhorar a qualidade de vida de mais de 35 milhões de brasileiros que são afetados por algum problema de visão, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

O avanço tecnológico possibilitou que a cirurgia da catarata seja aproveitada para corrigir outros problemas de visão, como a presbiopia, miopia, astigmatismo e hipermetropia. “A lente intraocular, que substitui o cristalino opaco causado pela catarata, pode ser personalizada com o grau necessário para corrigir a visão para perto, longe ou distância intermediária, livrando o paciente dos óculos”, explica o oftalmologista Hilton Medeiros, da Clínica de Olhos Dr. João Eugenio.

 

Segundo o especialista, isso é possível porque houve uma evolução no cálculo das lentes intraoculares. No mercado existem diversas marcas e tipos de lentes intraoculares que oferecem diferentes benefícios e resultados. Agora, com a chegada destas novas lentes das marcas Synergy e Eyhance as opções estão ainda mais variadas.

O implante das lentes intraoculares também são uma alternativa para corrigir grau nos casos em que a córnea não oferece a possibilidade para a cirurgia refrativa. Uma das novas lentes aprovadas pela Anvisa, por exemplo, melhora a miopia. “Este tipo de lente melhora a visão de longe e a intermediária, possibilitando que a pessoa utilize o computador e faça tarefas corriqueiras do dia a dia sem óculos, mas não garante uma ótima visão de perto”, esclarece Hilton Medeiros.     

 

A lente mais completa é a trifocal, no entanto ela não é indicada para todo paciente. “A trifocal é recomendada para pessoas com mais de 50 anos que não podem operar com laser de superfície problemas como miopia, hipermetropia ou astigmatismo. Neste caso, mesmo sem ter catarata, eles podem optar pela cirurgia para enxergar bem todas as distâncias”, finaliza o médico.

© 2020 Jornal Lago Notícias, de Brasília - Todos os direitos reservados.